Carregando...

Proteção anticorrosiva temporária


Alguns produtos metálicos necessitam de uma proteção anticorrosiva temporária pois, após algum tempo de armazenamento e/ou transporte, devem apresentar uma superfície sem alteração. O termo “temporário”, neste caso, aplica-se no sentido de ser facilmente removível e não ao período que se deseja proteger.

Os principais meios de corrosão são:

  • Contaminação de produtos corrosivos (fabricação e manuseio)
  • Embalagens contendo substâncias corrosivas
  • Corrosão atmosférica

Além de embalagens apropriadas, muitas vezes é necessária uma adequação do interior da embalagem com um protetivo temporário. A proteção temporária é geralmente obtida por climatização do meio externo, uso de substância anticorrosiva através da formação de películas protetoras, uso de embalagens especiais contendo inibidores de corrosão ou pela combinação destas. Veja resumo no quadro a seguir:

Controle do Clima:
A formação de uma camada de água sobre as superfícies metálicas é o principal fator contribuinte para o processo de corrosão.

Os principais métodos de proteção para diminuição da condensação de água são:

Ventilação: Aplicada em locais onde se torna difícil controlar a umidade e a temperatura. Faz-se através de ventilação natural (correntes de ar) ou forçada (ventiladores) e em paralelo, deixando as amostras suspensas e pelo menos a 1m de distância das paredes.


Aquecimento: Apenas aplicável em locais onde exista uma grande amplitude de temperatura, ou seja, quando faz frio durante a noite e calor durante o dia. O aquecimento é efetuado para controlar a umidade relativa (em valores próximos a 60%). Para o aquecimento de ambientes fechados, utiliza-se aquecedores colocados na parte superior das paredes e, para que exista uma real renovação do ar, exaustores nas partes inferiores. Deve-se ter o cuidado com o tipo de aquecedor a utilizar, pois alguns aquecedores de combustão emitem gases como CO2, SO2 etc. que são gases muito corrosivos. É necessário monitorar a umidade com auxílio de um higrômetro.


Desumidificação: Só é aplicado quando os outros dois fatores não resolvem o problema de umidade por si só. Os processos de desumidificação mais comuns são os obtidos por refrigeração, adsorção (sílica) e absorção (Cloreto de Lítio).

Eliminação das impurezas do ar: Aplicados a ambientes com grandes quantidades de produtos de combustão (CO2, SO2, fuligem, etc.), vapores ácidos e outros.

Formadores de Película:
É a obtenção de uma película superficial que impede o contato da superfície metálica com a umidade e substâncias corrosivas. A camada ou película formada tem uma grande espessura, dependendo da intensidade de proteção.

Geralmente são materiais derivados de petróleo, óleo ou graxas que contém substâncias que conferem propriedades de uniformidade de película, além de substâncias químicas inibidoras de corrosão. Sua grande desvantagem está no processo de remoção que, na maioria das vezes, torna-se difícil, dispendiosa, insalubre e ineficiente. Para retirada do inibidor de corrosão utiliza-se solventes orgânicos altamente tóxicos ao ser humano e ao meio ambiente, como os organoclorados e/ou aromáticos.

Estes protetivos são basicamente compostos por:

Materiais formadores de película: óleos, graxas, resinas, vaselinas, etc;
Solventes: água, substâncias orgânicas, etc;
Inibidores de corrosão: compostos polares de enxofre e nitrogênio;
Neutralizadores de ácido;

Foram divididos em grupos:

Aquomissíveis - emulsionáveis em água e produtos químicos solúveis em água;
Oleosos;
Solventes orgânicos - oleosos ou graxos, cerosos, tipo verniz e tipo plástico;
Aplicados à quente - vaselina, cera e termoplásticos;

Embalagens com Materiais Especiais
É o meio mais utilizado devido à versatilidade e aplicabilidade, sendo um excelente agente de proteção mecânica e corrosiva, tanto no armazenamento quanto no transporte.

As embalagens anticorrosivas diferenciam-se principalmente pelo seu conteúdo protetor:

Contra agentes mecânicos;
com dessecantes: compostos químicos que atuam eliminando a umidade interna da embalagem, podendo ser por adsorção (sílica) ou absorção (Cloreto de Lítio). Aplicados em casos onde não é possível colocar outros tipos de protetivos devido a incompatibilidades químicas ou apenas como reforço, como no caso dos produtos eletrônicos;
inibidores de contato: produtos que apenas funcionam quando estão em contato direto com a superfície metálica; contém sais inorgânicos impregnados em papel, geralmente à base de nitrito de sódio;
inibidores voláteis: as substâncias químicas utilizadas tendem a volatilizar alcançando a superfície do metal, onde são adsorvidos na forma de uma película invisível.

Rodovia Marechal Rondon KM 334,3
Chácaras Bauruenses
CEP: 17048-690
Bauru - SP

Ver no mapa
Vci Responsivo © 2019 - Todos os direitos reservados